EM BUSCA DA AURORA BOREAL

Em uma típica quarta feira de janeiro, 30 e poucos graus, nosso pequeno grupo se encontrou no aeroporto. Na mala nada de biquínis, bermudas e camisetas, mas calças impermeáveis, botas e jaquetas para neve. Sim estávamos embarcando para o hemisfério norte, BEEEEM ao norte, lá para perto do Círculo Polar Ártico, sim onde mora o Papai Noel.



Desembarcamos em Rovaniemi com temperaturas bem abaixo de zero e com muita neve por todos os lados. O objetivo de fazer esta viagem nesta época do ano num frio congelante (literalmente) é procurar a Aurora Boreal, este espetáculo dos céus que pode ser apreciado nesta região nesta época do ano. As luzes coloridas se formam de acordo com a atividade solar e por causa da baixa luminosidade podem ser vistas melhor à noite. Como neste período do ano o sol nasce por volta das 10 horas da manhã e se põe às 3 horas da tarde, se tem muito mais chances de ver este fenômeno climático e todos os passeios são um motivo (ou uma desculpa) para ir a busca das famosas luzes.



Na primeira aventura na neve, embarcamos em um navio quebra gelo no Golfo de Bótnia. Estes navios são utilizados na prática para abrir caminho para os barcos menores nas águas congeladas dos mares do norte. Depois de um tempo navegando é hora de ir a fundo nesta experiência com o gelo e entrar na água. Pensando bem, melhor não ir tão a fundo e ficar só boiando mesmo. A sensação de boiar em meio aos blocos de gelo é surpreendentemente relaxante!!



Na primeira aventura na neve, embarcamos em um navio quebra gelo no Golfo de Bótnia. Estes navios são utilizados na prática para abrir caminho para os barcos menores nas águas congeladas dos mares do norte. Depois de um tempo navegando é hora de ir a fundo nesta experiência com o gelo e entrar na água. Pensando bem, melhor não ir tão a fundo e ficar só boiando mesmo. A sensação de boiar em meio aos blocos de gelo é surpreendentemente relaxante!!



Um dos melhores lugares para se ver a aurora boreal é a Aurora Sky Station na cidade de Abisko na Suécia. Subindo em teleférico a uma altura considerável onde um microclima garante boas chances de se ver este fenômeno. Seguimos para lá à noite quando abre a estação. E lá estava ela decorando os céus com vários tons de verde e azul, em meio a algumas nuvens.



Próxima aventura: passeio de moto neve, motocicletas especiais para andar na neve. Depois de uma aula sobre segurança e noções básicas de direção de motos, seguimos para nossa expedição pelos campos branquinhos de neve ao amanhecer. Uma das vantagens de estar no Circulo Ártico é poder ver quase todos os dias o nascer e o por do sol no meio do dia colorindo o céu com tons de vermelho e laranja num espetáculo magnifico.



Uma visita ao Polo Norte não seria completa sem uma visita a casa dele: O Papai Noel em pessoa! Todos com suas cartinhas na mão visitamos a sua casa, falamos com o simpático velhinho, postamos cartinhas no correio, e passeamos pelo vilarejo que fica no limite do Círculo Polar Ártico.

Como última aventura em busca da Aurora Boreal, chegamos ao hotel da nossa última noite no extremo norte: iglus de gelo. Lá fora a temperatura de -22°C congelava até o suor do rosto. Dentro do iglu, agradáveis 20°C convidavam a relaxar e apreciar o céu estrelado na esperança de ver as tão esperadas luzes no céu.



Se vimos ou não a Aurora Boreal acabou sendo apenas um detalhe nesta viagem que á uma aventura cheia de emoções do inicio ao fim. Como disse John Lennon “ A vida é o que acontece enquanto fazemos outros planos”. Procurando por luzes no céu vivemos momentos incríveis em meio a paisagens que pareciam ter saído de telas de pintura ou de cinema. Talvez seja por isto que se tem vontade de sair procurando auroras a cada inverno do polo norte. Nunca estaremos completamente satisfeitos ao vê-las, pois o mais divertido é procurar por elas!

Aidê Stürmer Jones
Paralelo 30 Viagens e Turismo